domingo, maio 31, 2009


este álbum tem uma das melhoras capas dos últimos tempos.
musicalmente também não desilude nem um pouco. muito bom.

sábado, maio 30, 2009

nos momentos em que me sinto mais insatisfeita com os vários campos da minha vida noto que tenho a desprezível tendência de querer viver a vida de outrém ao invés de melhorar o que corre mal na minha.
de facto, tenho a sensação de que nunca fui dada a batalhar para superar obstáculos e, no entanto, olho para trás e não é bem isso que vejo porque até nem me tenho saído nada mal.
no fundo, parece que tenho uma tendência inata para o fracasso e para a inércia mas, de alguma maneira, as coisas têm-se sempre composto. não sei se por elas mesmas ou se já não tenho noção do que faço.
em todo o caso, olho para trás e não vejo grande lógica no meu percurso.

terça-feira, maio 26, 2009

o andrew bird deu ontém no s. jorge um bom concerto, mas nada que me faça suspirar por mais nem que me vá ficar particularmente na memória. penso que com a banda teria sido muito melhor.
o que me irá ficar certamente na memória é a mafalda veiga sentada ao meu lado a dormir grande parte do concerto. memorável...

quarta-feira, maio 20, 2009

acordo de manhã e tenho por hábito ligar logo a televisão nas notícias. hoje a primeira notícia que apanhei foi a da gravação da professora maluca que perguntava às alunas se eram virgens e que dizia que tinha mais escolaridade que qualquer encarregada de educação e outras coisas que tais. senti vergonha por aquela mulher, por estar a ouvir a voz dela a dizer aquelas coisas tresloucadas... e parece-me muito baixo enfiar um gravador às escondidas e tramar a mulher.
mas também eu tive a minha dose de professoras loucas. a minha professora de inglês do 5º ano não conseguia simplesmente dar aula, corria atrás dos putos que lhe roubavam pensos higiénicos da mala. o meu professor de matemática do 7º ano tinha a mania que era como o robin williams no clube dos poetas mortos e fez-nos ver o filme e, de uma maneira subtil mas insistente, deu a entender que gostava muito que os alunos dele um dia fizessem como no filme, então a turma toda, no último dia de aulas, eu incluída que nunca gostava de ficar de fora de nada, subiu às mesas e disse oh captain my captain e o homem ficou emocionado. a minha professora de religião e moral falava connosco dos últimos mexericos da escola e quais os rapazes que iriam dar belos homens.

terça-feira, maio 19, 2009


sonic youth


como terei demorado tanto tempo a descobri-los, como?

meia adormecida (leia-se estupidificada) pela rotina, a música ainda continua a ser uma obsessão. gasto 15 euros mensais nas melhores revistas da especialidade, a mojo e a uncut, e delicio-me com o melhor jornalismo e com o que de melhor se faz na música. uma colega de trabalho diz-me 15 euros? deves ser maluca. nem respondo, não discuto música com quem só ouve merda.

sábado, maio 16, 2009


-então doutor, é menino ou menina?
- nem uma coisa nem outra, senhora... é um anjo.


o anjo voltou a visitar-nos e a presentear-nos com a sua doce e iluminada presença. e quando cantou encheu os presentes de um amor trasbordante e pelo menos naquele instante ninguém pensou no mal.
e quando nos deixou tanto ele como os presentes tinham aquele o ar apaixonado de amantes e fiéis devotos.

terça-feira, maio 12, 2009

vejo os burocratas que por mim passam e que frequentam os mesmos poucos metros quadrados de transporte público que eu. olho-os com desdém cansado, são todos iguais. os mesmo fatos.
os advogados vêem-se à distância de tão típicos, nojo, o alívio por não estar a fazer o mesmo que eles, a perplexidade de ter tirado o mesmo curso imbecil que detesto mais e mais à distância.
apesar de não estar a fazer nada de que deteste verdadeiramente e de gostar muito da maioria das pessoas com quem trabalho não sei de onde me nasce este ódio que me vem de dentro que me põe a amaldiçoar pessoas que não conheço de lado nenhum. falta de espaço, leia-se tempo, para ser quem eu sou na realidade. sem tempo para me informar, cada vez mais ignorante, mais simplória e mais desligada dos meus amigos.
suburbana e submundana. mas como não sê-lo? só se deixar de dormir.

quarta-feira, maio 06, 2009


hoje um rapazinho lia no comboio um volume da colecção arrepios, livritos dos quais eu tanto gostava quando tinha a idade do miúdo.

agora lêem-se calhamaços surreais desde tenra idade, harries potters e twilights. nada contra, simplesmente são tão diferentes daquilo que eu lia. comprava os arrepios no jumbo ou na papelaria da d. alice e já nem me lembro bem quanto custavam, mas acho que pouco mais de 1000 escudos. com folhas de papel feio, escuras, a encadernação mázinha. as histórias que se liam num trago e que raras vezes assustavam na realidade, era sempre um miudinho dum qualquer liceu americano que tinha uma experiência assustadora...

segunda-feira, maio 04, 2009

espirro no metro e no comboio. não vejo mas sinto olhares incomodados cravados em mim. a minha pele morena, como sempre, parece denunciar uma estadia na riviera maya mas não... apetece-me dizer-lhes com ar apologético:

- é da alergia, sabe?...