quinta-feira, agosto 27, 2009

nem sabia que havia cabeleireiros assim.
quando entrei fui colocada em frente a um espelho para ver o estado (lastimável) em que se encontrava o meu cabelo. fora de moda, foi-me dito. com as pontas muito finas e estragadas, já o sabia.
passando à parte sempre deliciosa do lavar a massajar o couro cabeludo, a cadeira reclinável como a de um dentista. um rolo a percorrer-me as costas numa massagem algo repetitiva mas quem sou eu para me queixar? uma massagem às costas é sempre uma massagem às costas e, quando ao mesmo tempo uma pessoa me estava a mexer no cabelo, enquanto durou eu estava feliz.
as empregadas, no lugar de discutirem a vida de não sei quem discutiam se o bailarino do cirque du solei, que estava a passar no plasma, era realmente aleijadinho ou se as muletas eram apenas para fazer vista. eu estava banzada.
enquanto o cabelo me foi cortado fiquei a saber que se o secar de cabeça para baixo e logo de seguida moldar com as mãos não fico com uma juba indomável, o que me parece fantástico mas eu nunca saberei secar o cabelo nem tão pouco tenho escovas daquelas redondas. o conselho foi muito bom, e eu tomei muito em consideração, mas eu nunca terei jeito para essas coisas de gaja.
paguei 60 euros e soube logo que posso facilmente habituar-me àquele cabeleireiro se tiver possibilidade.

9 comentários:

A minha vida é uma desgraça e faço questão que todos o saibam disse...

1. até que enfim que há alguma coisa que te corre bem
2. até que enfim que fazes um post sem insultar ninguém, rebaixando os outros, enaltecendo a tua suposta sabedoria (qual sabedoria?)
3. pelos vistos, o trabalho que tanto odeias, sempre te dá para esbanjar 60€ no cabeleireiro - a tua vida é mesmo dura pá!
4. adoro o termo "banzada", é tão pindérico, tão saloiozinho...

Refugee disse...

Tu pensas, autor(a) do primeiro comentário, que estás a caricaturar a satirizar, quando no fundo o alvo da própria humilhação és tu mesmo(a)

Aquele que discorda e por isso humilha o autor do blog disse...

Sim, percebo: quem não tem o mesmo ponto de vista que tu é burro, atrasado mental, ignorante, é a sua "própria humilhação", etc. Cá para mim, ou és dirigente de um clube de futebol, militante do PSD, ou és simplesmente fascista.
Diz-me, ó ser sábio: em que parte do meu comentário está a humilhação?

A sério: deixa de ler Dan Brown.

Maria del Sol disse...

Sabe bem esquecer-nos do amargo de boca que deixa a rotina do emprego com estes bombons. Tu não mereces menos que um tratamento de luxo. :)

aryabodhisattva disse...

também cortei ontem a juba e céus, parece que já não reconheço aquela rapariga de cabelo comprido, estragado e já sem penteado possível.
i feel so good/free/pretty now.

*êxtase capilar que irá possivelmente ainda durar mais algum tempo e valeu bem o dinheiro*

Rabisco disse...

Uma das coisas que mais aprecio em tudo o que escreves é a capacidade de falar de coisas do dia-a-dia com a perspicácia e piada com que escreves...
Pois eu também fui ao cabeleireiro na semana passada e também foi uma situação engraçada...
Estava numa terra onde não conhecia um único cabeleireiro mas, como ainda iria ficar por lá e a juba já me domava era a mim, resolvi procurar...
Fiquei cheio de dúvidas e cansei-me de procurar pelo que decidi marcar no primeiro que me aparecesse na internet. E assim fiz...
Não fazia ideia do local onde se situava e encontrei-o com algum custo no dia da marcação mas olha, até tive sorte!
=)
Até correu bem!

Beijinhos

verdades_e_poesia disse...

Os cabeleireiros ou barbeiros são o sítio normal para pôr as actualidades em dia! Beijo ;)

comboio turbulento disse...

descansa, continuas linda :)

Anónimo disse...

nao tem nada a ver com o post mas passemhttp://ouricomc.blogspot.com/ por este blog