terça-feira, maio 12, 2009

vejo os burocratas que por mim passam e que frequentam os mesmos poucos metros quadrados de transporte público que eu. olho-os com desdém cansado, são todos iguais. os mesmo fatos.
os advogados vêem-se à distância de tão típicos, nojo, o alívio por não estar a fazer o mesmo que eles, a perplexidade de ter tirado o mesmo curso imbecil que detesto mais e mais à distância.
apesar de não estar a fazer nada de que deteste verdadeiramente e de gostar muito da maioria das pessoas com quem trabalho não sei de onde me nasce este ódio que me vem de dentro que me põe a amaldiçoar pessoas que não conheço de lado nenhum. falta de espaço, leia-se tempo, para ser quem eu sou na realidade. sem tempo para me informar, cada vez mais ignorante, mais simplória e mais desligada dos meus amigos.
suburbana e submundana. mas como não sê-lo? só se deixar de dormir.

6 comentários:

Rabisco disse...

Tens toda a razão no que escreveste...
A certa altura também penso exactamente o mesmo...
Falta-me o tempo para tantas coisas e quando dou conta já lá vai...
E é do tempo prático que falo, porque o outro, o psíquico, esse existe infelizmente de sobra...

=)

Maria del Sol disse...

Os teus amigos é que não se desligam de ti, querida sis. Infelizmente o vil metal obriga-nos a estas vidas, mas o pouco tempo que temos para as coisas boas sabe duplamente bem porque rareia.

Força e um beijinho.

du disse...

essa raça miserável do direito...
alegra-te, não és a única a detestar esse mundo.

Incinerater disse...

"cada vez mais ignorante, mais simplória" maaiiiiiis??? o quê? vais começar a escrever só monossílabos?

Bem, este blog é absolutamente delicioso, cada post uma bosta maior que a outra, a rebentar de pretensiosismo barato e mania ridícula de ser alguma coisa que obviamente não se consegue ser. nem sequer chegar aos calcanhares.

Por hoje chega (já me valeste umas belas gargalhadas), mas garanto-te que vou voltar, isto é dos piores blogs que já visitei e acredita que eu perco muito tempo à procura deles. Delicioso. Tenho a tese feita.

Bacci carissima!

Uma anónima de bem com a vida disse...

Pretensiosismo barato é escrever palavras numa língua estrangeira que não se domina e ainda por cima tornar óbvio esse pormenor: não se escreve "bacci", mas antes "baci".

Um simples corrector do google teria corrigido isso e uma vida ligeiramente mais interessante pouparia insultos gratuitos a perfeitos desconhecidos.

H4rdDrunk3r disse...

bem, má onde que para aí vai!!

mas o que importa é que sinto o mesmo que tu, word by word... e também não me sinto ser ninguém...