sábado, janeiro 03, 2009


sempre que saio do trabalho a horas decentes gosto de ligar o rádio na única estação que o meu carro sem antena apanha, a renascença. já sei que às 18.30 estabelecem a ligação em directo para a capelinha das aparições em fátima, de onde é transmitida a missa para o éter.
este gosto em mim pode ser algo bizarro, apesar da minha educação católica não frequento a igreja. mas não o faço por necessitar de me sentir mais perto de deus, nem para me rir com a crença dos outros.
faço-o de vez em quando assim como alguém em dieta come um doce.
começa sempre com os cumprimentos a todos aqueles que se juntam aos fiéis através da rádio. sinto-me um bocado intrusa, mas disfarço e ajo com naturalidade. vamos lá inserir no rebanho. uma vez o padre dirigiu um cumprimento especial aos fiéis nas prisões, imaginei os rufias sentados em cadeiras de madeira em volta de um pequeno transístor, uma pausa entre umas sessões de levantamentos de pesos. surreal, ando a ver demasiadas séries americanas.
após os cumprimentos, segue-se um pequeno sermão. por vezes é interessante o suficiente para me deixar a reflectir um pouco. outras vezes apenas consegue arrancar de mim um foda-se que estupidez.
segue-se uma quantidade de avés marias/pais nossos que não sei quantificar, mas que me embalam como um mantra.
quando entra o coro acabou-se. já sou eu outra vez, a gozar com aquelas vozes horríveis e aquelas frases artificialmente enfiadas num cântico que é sempre sempre igual, seja lá o que for cantado, é sempre a mesma coisa.
por esta altura já cheguei a casa e sou outra vez a miúda que nunca vai à missa.

9 comentários:

comboio turbulento disse...

deixa lá. eu também não vou à missa e só desmaei 2 vidas na minha vida e todas em igrejas. Estarei amaldiçoado?:)

PKB disse...

Bem, eu gosto de ouvir música sacra na antena 2... =)

Feliz Ano Novo! (pois, durante uma semana ando nisto, desculpa lá!)

Parrovski disse...

:)

R.B.M. disse...

Parece-me ser um hábito bastante saúdavel. São raras as coisas que tanto nos podem levar a reflectir como a proferir um sentido "foda-se".

JHB disse...

As últimas vezes que entrei na igreja da minha terra foi em funerais. Apesar de respeitar quem acredita repugno a instituição.
Ainda assim às vezes lembro-me daquele ritual de mais miúdo, recordação sem nada de espiritual, mas ainda assim nostálgica.

Verdades e Poesia disse...

lol Vai fazendo mais posts... nem que seja a contar algumas peripécias ouvidas na rádio renascença :)beijo

Betty Coltrane disse...

Também costumo apanhar, a maior parte das vezes na carrinha do meu pai, a caminho de casa... O meu primeiro impulso é mudar imediatamente de estação. Nunca como nessas ocasiões me sabe tão bem a rfm... lol!

Honestamente, a missa só me toca e me é suportável dentro de uma igreja mesmo. Deve ter a ver com a energia desses locais magníficos, acho.

You know me, art geek... hehe!

Maria del Sol disse...

Tanto como a renascença não digo, mas tal como a PKB um pouco de música sacra da antena 2 antes de adormecer, à noite, às vezes até sabe bem. :)

Mas afinal o que estou eu aqui a fazer?... disse...

como alguém em dieta come um doce?... então quase podemos dizer que esse teu momento é quase um prazer de realizar um desejo proibido... ;)