sexta-feira, fevereiro 29, 2008

eu casava com ele se ele quisesse # 9


conan o'brien

sem quaisquer outras justificações. só mesmo porque ele é o maior

quinta-feira, fevereiro 28, 2008

bring it on # 2

a entrevista não foi aquilo que eu esperava, na medida em acabei por ir lá não para ser escolhida mas para decidir se quero ser ou não uma consultora financeira (convenhamos que não fica mal num currículo quase virgem como o meu). sem horários. sem remuneração base. sem objectivos mínimos. com uma comissão que fica cada vez mais apetecível quanto maior for o crédito pedido. com cartõezinhos personalizados e folhetos com o meu próprio carimbo.
mais uma vez há um entrave com o facto de morar longe, que é uma dúvida que ainda tenho de tirar.
mas fora isso, não me parece nada mal para começar, dando para conciliar perfeitamente com os estudos.

mas o que me deixou mesmo parva foi ter visto que no final da entrevista não fui brindada com um «então depois ligamos» mas sim com um «então por favor avise-me se quer realmente». julgava que coisas destas já não existiam.

quarta-feira, fevereiro 27, 2008

bring it on

ultimamente tenho tido tanta coisa na minha vida que nem tenho sabido muito bem o que escrever. eu bem tinha o pressentimento que este ano se iria revelar diferente, um ponto de viragem, e de facto assim o foi.
tem sido completamente diferente do final do ano passado.
para bem melhor.
noto diferenças, muitas. uma maior tranquilidade, mais capacidade de comunicação até. mais confiança, provavelmente.
a maior mudança acontece quando me dou conta que amanhã tenho a minha primeira entrevista de emprego. vejo que me aproximo a passos largos do fim de mais um ciclo, aliás, do fim daquilo que tem sido a minha vida, ser estudante há cerca de 16 anos.
e sinto-me pronta para enfrentar toda essa mudança.

segunda-feira, fevereiro 25, 2008

venus as a girl


björk , festival do sudoeste

chame-se premonição ou coincidência, mas ontém à noite deu-me uma vontade irresistivel de ouvir esta mulher. e hoje deparo-me com esta grande notícia. duvido que consiga ir, mas pelo menos a vontade é enorme.
posso mesmo dizer que seria um sonho tornado realidade.
agora que penso nisso...quero mesmo ir. tenho de ir.

sábado, fevereiro 23, 2008

a revista sábado é amiguinha...


...e ofereceu um grande livro.
a tradução não era a melhor, mas não estraga a excelência deste grande livro. há muito que um livro não me prendia tanto. mas também valha a verdade não tenho lindo muito, e os livros de direito não são a leitura mais entusiasmante.

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

eu casava com ele se ele quisesse # 8


Eirik Glambek Bøe

ou o elemento giro dos kings of convenience. o companheiro de banda erland oye também tem a sua piada, duma maneira nerdy. mas é este claramente que fica com as miúdas, basta ver as capas dos álbuns, sobretudo a do quiet is the new loud onde surge todo agarradinho com a menina (que segundo a wikipedia é a namorada dele, bom menino portanto) enquanto o pobre erland olha para a objectiva como se dissesse opá cá estou eu a fazer de vela outra vez, dass...
mas esta semana escolhi este senhor porque tenho ouvido muito tanto o álbum que já mencionei, como o riot on an empty street. muito tranquilizador, muito fim de semana chuvoso com cobertor nas pernas e um bom livro.


quinta-feira, fevereiro 21, 2008

without girls like you there will be no fun (*)


amy winehouse - 30 de maio, rock in rio lisboa

(*) fuck me pumps

segunda-feira, fevereiro 18, 2008

ode à chuva

adoro dias de chuva, loucamente.
gosto do céu, austero, cinzento, com vários tons, mais claros e mais escuros. adoro a luz dum dia de chuva, ou talvez da falta dela. mas é como observar o mundo através de umas lentes foscas, ver tudo com uma outra tonalidade.
hoje deparei-me com o rio tejo mais bonito de sempre. abaixo da escuridão, mais perto da linha do horizonte estava um céu cinzento clarinho, o que projectava um trilho de água cor de platina, exactamente por onde os barcos faziam a sua travessia. algo de divino havia naquele cenário, juro-vos. simplesmente perfeito.
e no caminho de regresso o cristo rei simplesmente não existia, engolido pela escuridão.
ao chegar ao destino o aperitivo que faltava, a trovoada. corri até ao carro, os passageiros do autocarro que passou por mim deitaram-me um olhar de espanto e um pouco trocista, eu notei. mas naquele momento ia muito mais feliz que eles, a correr enquanto a chuva me batia na cara e os trovões ecoavam pelo céu. os raios a caírem em direcção ao ponto mais alto da serra, bem à minha frente, ainda bem longe.
há quem diga que precisa de sol para carregar baterias. pois eu acho que a chuvinha que apanhei hoje me revitalizou mais do que umas férias nas caraíbas.

domingo, fevereiro 17, 2008

sábado, fevereiro 16, 2008

hoje senti-me assim


o dia todo.
dois ataques de choro convulsivo depois e muito açúcar para o sangue, o medicamento.


sexta-feira, fevereiro 15, 2008

quinta-feira, fevereiro 14, 2008



There is a house built out of stone
Wooden floors, walls and window sills...
Tables and chairs worn by all of the dust...
This is a place where I don't feel alone
This is a place where I feel at home...

Cause, I built a home
for you
for me

Until it disappeared
from me
from you

And now, it's time to leave and turn to dust...

Out in the garden where we planted the seeds
There is a tree as old as me
Branches were sewn by the color of green
Ground had arose and passed it's knees

By the cracks of the skin I climbed to the top
I climbed the tree to see the world
When the gusts came around to blow me down
I held on as tightly as you held onto me
I held on as tightly as you held onto me...

Cause, I built a home
for you
for me

Until it disappeared
from me
from you

And now, it's time to leave and turn to dust...


terça-feira, fevereiro 12, 2008

este menino parece pequenino não parece?
pois, na realidade pesa exactamente dois quilos. dois quilos de letras, e pontuação. nenhum boneco.
e até sexta feira tenho de ler, vá lá, uns 800 gramas de matéria. pouca coisinha.
o suficiente para me afastar destas lides por uns dias.

sábado, fevereiro 09, 2008

serviço matrimonial - casamentos por encomenda

ora bem, não foi premeditado, mas após ter sido mencionado por duas pessoas, e tendo em conta que estive mesmo para o escolher a ele como o noivo desta semana, não fosse o meu querido sondre, que parece não ter recolhido um apoio muito entusiasta mas eu gosto dele na mesma, ter aparecido a cantar-me aos ouvidos dias seguidos, parece-me pertinente colocá-lo aqui como o meu noivo nº6. que isto não vos dê uma imagem errada de mim, que não ando por aí a casar com tudo o que me aparece à frente.
mas acho que, perante o apelo da vanessa, isto se impõe.

como tal

eu casava com ele se ele quisesse # 6

johnny depp

a foto vencedora do world press photo

da autoria de um inglês, tim hetherington, mostra o desespero de um soldado americano num bunker no afeganistão.

podia tentar dissertar qualquer coisa pseudo - intelectual, acerca do degredo dessa grande nação, mas isso seria estúpido.
limito-me só a olhar para a foto, e a sentir o enorme doer que se sente só de olhar.

sexta-feira, fevereiro 08, 2008

eu casava com ele se ele quisesse # 5


sondre lerche

este rapazito tem um álbum que ouvi imensas vezes há uns 4 ou 5 anos atrás chamado faces down. quando o meu primeiro computador morreu levou-me este que era um dos meus álbuns preferidos.
nunca mais ouvi nada dele, a rádio não passa, durante anos permaneceu num recanto qualquer do meu cérebro, sem que eu me lembrasse da sua existência. até que, já não sei porquê, há uns meses me lembrei duma música dele, e tratei de arranjar a discografia. confesso que ainda não perdi muito tempo para além do faces down, que está recheado de grandes canções. uma delas foi motivo do meu anterior post, provavelmente a canção que mais ouvi esta semana, e que ontém esteve o dia todo na minha cabeça. daí a minha escolha para noivo da semana. também por causa desta carinha de miúdo, que, confesso, no que toca de apreciar a beleza de outro homens, regra geral revela-se uma predilecção. devo ter um lado estupidamente maternal.
não querendo impingir o meu gosto a ninguém recomendo vivamente que descubram este cantautor, quase ignorado no nosso país.
fica aqui o link para a primeira música que ouvi dele.

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

a música certa no momento certo

I find it hard, hard to let go
And you are entitled to know
You have brought nothing else but bliss, a great deal of frustration, a voluntary occupation
driving me insane and off the wall
And we were free to choose each other
But now it seems like something other
So have you placed me where I stand?
We turned caring like a mother, afraid to lose each other
It got us this far
Now problems are:
I have no bags to pack, no suitcase waiting in the hall
You have no make-up, no stockings in my drawer
Oh, how did we forget? How could we forget?
It's easy to learn if you never regret
When you live in paranoia and you know she's got you, oh yeah
You can't leave until you know the truth
So for months you're going nowhere
until you seize the day and place yourself behind the steering wheel
Or you could end like you don't want to, the opposite of what you planned to:
You can watch the ships when they're abroad
Become a joke when people see you, cause it's enough to please you
You got this far, step put of the car
I have no bags to pack, no suitcase waiting in the hall
You have no make-up, no stockings in my drawer
Oh, how did we forget? How could we forget?
It's easy to learn if you never regret
We'll never learn in the future, this is it, seemingly I am sure
I know we haven't been together now
It wasn't meant to be this way so we'll give it days and days and we'll try to make it easy now
Once I believed we could approach this, now I have faith placed in the things you call fate
In the things you call fate
In the things you call fate

domingo, fevereiro 03, 2008

descobri...

... a cura para o mau humor. a tristeza. a depressão. a dor de cabeça. as dores menstruais. as cólicas. a falta de dinheiro.
quem padeça de algum destes males eu aconselho ter por perto uma fotografia deste ser humano de aparência raríssima. logo logo há um esboçar de um sorriso, que depressa se transforma em gargalhada.
eu experimentei e recomendo.

hoje é dia de


colmatar mais uma falha e descobrir a discografia dos sonic youth.
comecei pelo rather ripped, vou para o sonic nurse. estou a fazer o percurso cronologicamente inverso. o rather ripped é das melhores coisas que ouvi ultimamente.


sexta-feira, fevereiro 01, 2008

eu casava com ele se ele quisesse # 4


nick cave

esta semana, pelas razões óbvias, apetecia-me casar com o nick cave.
é uma paixão já antiga, com altos e baixos. há algum tempo que não pensava nele mas assim que soube que nos vinha visitar lá se reacendeu a chama.
também por razões óbvias escolhi uma fotografia em que não aparece de bigode. não gosto de bigodes, pelo menos não ainda. e este senhor na fase nocturama estava especialmente casável.
diz que são postos hoje à venda os bilhetes. tenho de arranjar maneira de lhe fazer a proposta ( e aqui podia aproveitar para fazer um trocadilho nerd com o filme que ele escreveu e que foi um dos melhores que já vi nesta vidinha) para ver se o homem larga a matrafona com que está e casa comigo.