segunda-feira, maio 19, 2008

hoje vi a morte

A Morte - Azevedo Silva

várias tentativas de reanimação num corpo deitado no meio da estrada junto à cantina velha.
diz quem viu mais tarde que a pessoa acabou mesmo por morrer.


é uma sensação estranha ver acontecer a escassos metros, à vista de toda a gente, aquilo que sabemos que acontece todos os dias, mas que, como não vemos, é como se não existisse.

13 comentários:

just a boy... disse...

Felizmente até hoje nunca tive o prazer de presenciar tal coisa, mas a da foice anda aí e quando menos se espera lá tá ela a atacar qual profissional do sexo em busca de guito para dar no cavalo.

nana disse...

...


hug.



x

Nia disse...

hirra... (arrepios)...

Maria del Sol disse...

:S

Deve ter sido cá um choque... e tens razão, na maior pate do tempo damos a vida por garantida, o que não podia estar mais longe da verdade.

Francisco disse...

ainda por cima tão perto do hospital...






(desculpa, tive de fazer a piada)

rjl disse...

:s

sei bem como isso é... forget it!
:*

naturalissima disse...

Porque nos sentimos tão estranhos...? Porque nos custa tanto aceitar aquilo que é o mais natural e certo na vida?

O melhor será é pensarmos e sentirmos que a morte não deixa de ser uma passagem... Corpo que se deixa ficar sem vida,... o resto continua noutro espaço.

Amiga, estou grata pela tua visita... em especial momento, pelo facto do meu tio estar a lançar o seu livro. Acredita que é lindissimo. Quando se começa a lêr, é dificil de parar! E olha que não digo isto por ser de quem é... e nem me leves por publicitária do mesmo. hehehehhee...

Se fores com a tua amiga "Betty", no dia do lançamento, ficaria muito contente por te conhecer pessoalmente.

um beijinho
e boa semana :)
Daniela

Cataclismo Cerebral disse...

Deve ser mesmo uma sensação estranha, que nos deixa a pensar na fragilidade da vida. Ainda não me deparei com uma situação dessas, mas deve ser algo brutal...

Dr. Strangeluv disse...

Que horror =/

Carlos disse...

muito mau isso... presenciar tal acontecimento...
eu sei o que é... muito difícil tirar a imagem da nossa memória... mas... tudo passa...

beijoca...

Carlos disse...

ah, boa escolha da música ;-)

Pips disse...

A carruagem do metro pára. Hora de ponta. Não ía sair naquela estação.
Espreito pela janela e vejo um espaço sem pessoas. Um homem jaz no chão e uma equipa de reanimação encontra-se próxima. Não entendi se o homem já nos tinha deixado ou se estavam a começar a reanimá-lo.
A carruagem arrancou novamente e eu fiquei com o olhar preso. O olhar preso na vida, que a qualquer momento se pode transformar num mero instante.

A Foice (tipo A Naifa) disse...

este post é um espectáculo.