sexta-feira, janeiro 18, 2008

hoping



fiz a experiência. demorei exactamente um minuto e doze segundos a quebrar em lágrimas, o que já não costumava acontecer, não com esta.
mas nesta como em muitas outras vivem presos os meus fantasmas, que são libertados com o desfilar das notas. quando acaba fico bem outra vez. são uma espécie de fantasminhas brincalhões que de vez em quando precisam de ser libertos, para depois sossegarem um pouco. um queimar de energias, chamemos-lhe assim.


Hope there's someone
Who'll take care of me
When I die, will I go

Hope there's someone
Who'll set my heart free
Nice to hold when I'm tired

There's a ghost on the horizon
When I go to bed
How can I fall asleep at night
How will I rest my head

Oh I'm scared of the middle place
Between light and nowhere
I don't want to be the one
Left in there, left in there

There's a man on the horizon
Wish that I'd go to bed
If I fall to his feet tonight
Will allow rest my head

So here's hoping I will not drown
Or paralyze in light
And godsend I don't want to go
To the seal's watershed

Hope there's someone
Who'll take care of me
When I die, Will I go

Hope there's someone
Who'll set my heart free
Nice to hold when I'm tired

8 comentários:

dona disse...

touching.

Maria del Sol disse...

There's certainly someone... :)

E é bom soltar os fantasmas de vez em quando, mas não faças disso um hábito, não quero a minha sista a chorar. Só se for de alegria ;)

Francisco disse...

o antony tem uma voz do caraças. ponto final.

já agora, a do "fantasminha brincalhão" era uma referência ao último álbum do avô cantigas?

Cataclismo Cerebral disse...

Sim, também não te quero ver numa bad mood :( Toca a arrebitar :)

Bjos!

Vanessa disse...

Sentei à minha mesa
os meus demónios interiores
falei-lhes com franqueza
dos meus piores temores

tratei-os com carinho
pus jarra de flores
abri o melhor vinho
trouxe amêndoas e licores

chamei-os pelo nome
quebrei a etiqueta
matei-lhes a sede e a fome
dei-lhes cabo da dieta

conheci bem cada um
pus de lado toda a farsa
abri a minha alma
como se fosse um comparsa

E no fim, já bem bebidos
demos abraços fraternos
saíram de mansinho
aos primeiros alvores
de copos bem erguidos
brindámos aos infernos
fizeram-se ao caminho
sem mágoas nem rancores

Adeus, foi um prazer!
disseram a cantar
mantém a mesa posta
porque havemos de voltar


Jorge Palma

Vá lá que com este a gente sempre se pode rir um bocado! :D

Já agora, o Antony solta os fantasmas de muita e muita gente... Ai o maldito! Mas ainda no outro dia estava a falar sobre isso com uma amiga e chegamos a consenso: a pior dele é mesmo a I Fell In Love With a Dead Boy! Outchhhhh!

Beijinho*

Anónimo Juvenal disse...

Sabes...já só queria dormir...já só queria não pensar...só queria não sentir a agonia...estou cansado...

Força para nós!*

Arya Bodhisattva disse...

não admira, esta canção traz à superfície a mágoa até da hippie mais optimista.
é superba, mas mata-nos um bocadinho de cada vez que a ouvimos.

Carlos disse...

poucas palavras sobre esta fantastica, comovente, sentida e dolorosa musica... única.... uma obra-prima...
senhor Antony...
espero ansiosamente pelo seu novo trabalho, que ira sair em 2008...
muito bom....