quarta-feira, outubro 31, 2007

halloween?


whatever...
passa-me completamente ao lado nesta pasmaceira de sítio.
vou só estar atenta a qualquer criancinha que ouse aproximar-se do meu carro com o intuito de o sujar. é que nem se atreva.

terça-feira, outubro 30, 2007

the gay messiah is coming

só sei que na próxima semana, por esta altura, estou prestes a presenciar um grande concerto, de um dos grandes génios da música contemporânea.
vai ser uma choradeira humilhante, um delírio de felicidade, uma comoção silenciosa. e por fim, a catarse. não vai restar pedra sobre pedra.

e se assim não for, quero o meu dinheiro de volta.

segunda-feira, outubro 29, 2007

ouvir música alegre quando se está triste é uma treta. de que me serve ouvir alguém cantar como a vida é bela, como o nosso amor é para toda a vida, como esta canção que escrevi para ti é perfeita, quando me apetece partir a boca ao cupido? isso sim faz-me triste. ouvir a felicidade da boca de outras pessoas. maior prova de mesquinhez do que esta? que seja uma pessoa mesquinha, quero lá saber.
por isso, não terá sido ao acaso que descobri o mestre dos desgostos, o senhor morrissey. por isso me sinto tão bem a ouvi-lo. e as suas palavras tristes não me deixam minimamente deprimida. deixam-me embalada e confortada.
esta é portanto a minha adição do momento.

enorme este homem.

sábado, outubro 27, 2007

ao percorrer de novo as linhas do teu rosto reparei que ainda conheço de cor todos os trilhos e caminhos por onde andei ao longo destes anos. e ainda sei parar nos sítios certos, e apreciar a beleza da tua expressão.

de súbito apercebo-me de que nada mudou depois de tudo ter mudado.

Again and again and again
Do it Again
Do it Again
Again and again
Its a shame, its a shame, its a perfect shame.
Creep under my door, and we do it again, oh.
Its easy and easy and easy and easy
And creepy and creepy and creepy, oh
Again, again, again, again.
Again and again and again.
Do it Again
Do it Again
Again and again and again
Do it Again
Do it Again
Again & Again
Say my name, say my name, say my stupid name
Its stupid how we always seem to do it again, oh
You're so stupid and perfect and stupid and perfect.
I hate you, I want you, I hate you, I hate you, oh.
Again, again, again, again.
La, La, La
Again and again and again
Do it Again
Do it Again
Again and again and again
Do it Again
Do it Again
the bird and the bee_again and again


quinta-feira, outubro 25, 2007

terça-feira, outubro 23, 2007

tenho sentido estes dias como a maior provação da minha vida até agora.
eu, cuja vida nunca teve nada de muito emocionante a assinalar, tudo muito meio termo como é meu hábito, nem popular nem freak, nem muito caseira nem muito festiva, a fazer o cursinho com notas do mais mediano que pode haver, vejo-me no meio de um turbilhão que teima em rodopiar cada vez mais depressa. estou tonta, até ao ponto da náusea. todos os dias um novo obstáculo, uma nova prova a superar. quando as outras ainda não estão superadas, longe disso. as camadas vão-se sedimentando, todos os dias é um novo dia, e todos os dias é acrescentada mais matéria no fundo.
já dá para fazer um muro de tamanho médio.

domingo, outubro 21, 2007

devastada

num dos melhores blogs de música que existem, encontrei referência a esta banda.
devidamente arranjado o último álbum é tempo de tirar algumas conclusões. são muito bons, muito soturnos, quase solenes. um pouco depressivos? sim.

venham dias cinzentos e chuvosos, para poder desfrutar em pleno deste álbum.

quarta-feira, outubro 17, 2007

and i wake up alone (*)

ver tudo começar, ver tudo a desenrolar-se perto de mim. acompanhar o progresso, ver o sorriso no rosto dela. aquele sorriso parvo que se tem sempre no início da paixão. podemos receber a pior notícia do mundo, mas o sorriso não sai dali. o nervosismo, as noites sem dormir. o pensamento ocupado com pouco mais do que aquele nome, aquela cara, aquelas palavras.
ela acompanhou a minha história, agora é a minha vez de assistir à dela, que seguramente será muito feliz. como a minha o foi.
porque nós merecemos, vera.
porque como nós dizemos, somos diferentes. tão diferentes do que vemos por aí.
porque só irá ficar connosco quem nos merecer. e eu acho que tu encontraste.
por isso, é altura agora de eu secar as minhas lágrimas e celebrar contigo.

(*) amy winehouse

segunda-feira, outubro 15, 2007

dou por mim a pensar que as palavras das outras pessoas podiam perfeitamente ser as minhas. que as canções que eu oiço podiam ter sido escritas para mim, de oportunas. como se tudo girasse à minha volta. como se eu tivesse o poder de atrair eternamente alguém, como se não pudesse ser trocada. mas quem sou eu para pensar assim?

já é tempo de olhar à minha volta e parar de mirar o meu umbigo.
e aceitar a vida tal como ela é.
e já agora crescer um bocadinho, que não em altura.

enquanto isso, esta é minha neste momento.

I'm the next act
waiting in the wings
I'm an animal
Trapped in your hot car
I am all the days that you choose to ignore

You are all I need
You are all I need
I'm in the middle of your picture
Lying in the reeds

I am a moth who just wants to share your light
I'm just an insect trying to get out of the night
I only stick with you because there are no others

You are all I need
You are all I need
I'm in the middle of your picture
Lying in the reeds

It's all wrong
It's all right
It's all wrong

radiohead_all i need

sábado, outubro 13, 2007

quinta-feira, outubro 11, 2007

quarta-feira, outubro 10, 2007

em repeat


cedo demais para tirar conclusões senão de que me vai fazer muita companhia nos próximos dias.

terça-feira, outubro 09, 2007

sempre as mães

-estás tão bonita.
(o rio ameaça inundar os olhos mas cedo recua. chorar com um elogio materno? ao que isto chegou.)

the last good day of the year

domingo, outubro 07, 2007

ella não sabe como chegaram áquele ponto. depois das juras trocadas, de todas as certezas vividas lado a lado viu o mundo desmoronar de um momento para o outro.
elle não sabe o que fazer. já não tem quaisquer certezas. vive preso no mundo acre da culpa e dá passos inseguros num caminho cheio de buracos. mas certezas não tem. nem lágrimas. haviam de ver aqueles olhos. o que outrora foram duas enormes azeitonas, são agora dois espelhos de água turva, parada, cheia de algas.
elles não sabem como sair desse ponto. ella deu a sua sugestão, demasiado cobarde para abrir as mãos, demasiado egoísta para sofrer sózinha. elle deu a sua sugestão, demasiado cobarde para levá-la avante, um passo demasiado definitivo para tamanha incerteza.
ella sente-se miserável por elle estar miserável.
elle sente-se miserável por ella estar miserável.

o amor não pode ser isto.

When I was young, younger than before
I never saw the truth hanging from the door
And now I'm older see it face to face
And now I'm older gotta get up clean the place.
And I was green, greener than a hill
Where flowers grew and the sun shone still
Now I'm darker than the deepest sea
Just hand me down, give me a place to be.
And I was strong, strong in the sun
I thought I'd see when day is done
Now I'm weaker than the palest blue
Oh, so weak in this need for you.
nick drake_place to be

sexta-feira, outubro 05, 2007

dignidade

Sentir de novo
Aquela dor
A pouco a pouco respirar
Aquele amor que foi
Vivido e esquecido
Em segredo
Como ninguém
Perdoar
Como perdoar
Há tanto tempo que eu queria mudar
Queria voltar
Acordar
Deixar o dia passar devagar
Assim ficar
Sentir de novo
Aquele amor
A pouco a pouco consolar
Aquela dor que foi sentida e sofrida
Em silêncio
Chegar de novo
Sentir o amor
Voltar a casa sem pensar
Deixar a luz entrar
Esquecer aquela mágoa
Sem ter medo
Como ninguém
Encontrar
Poder encontrar
Todas as coisas que eu não soube dar
Saber amar
Perdoar
Saber perdoar
Há tanto tempo que eu queria mudar
Queria voltar
Aceitar
Deixar que o tempo te faça voltar
Saber esperar


rodrigo leão + adriana calcanhotto_a casa

quarta-feira, outubro 03, 2007

esquece tudo o que te disse

such a sad and grey day (*)

dizem que para voltar a nascer é preciso primeiro morrer.
não podia estar mais morta neste momento. só se estivesse biologicamente morta, não cheguarei a esse ponto.

resta aguardar pela data de re-nascimento.

(*)lavender diamond - oh no

segunda-feira, outubro 01, 2007

procura-se

procura-se mágico ilusionista que me faça desaparecer para bem longe daqui. islândia serve. já agora que faça com que eu saiba falar a língua nativa, para tornar tudo um pouco mais fácil.
sem companhia.
para começar do zero onde ninguém me conheça.

preciso de um sítio escuro para onde ir.