domingo, dezembro 16, 2007

esta altura do ano é o tempo dos inevitáveis balanços do melhor e do pior. e como a música é provavelmente a arte que mais importância tem na minha vida dou por mim a pensar nas minhas escolhas para este ano.
este foi um ano muito fértil em concertos, mas em termos de impacto só consigo escolher dois, daqueles que mudam a nossa vida. o primeiro, rodrigo leão no cineteatro s. joão em palmela. aquele mais perto de casa, no espaço mais intimista, talvez o mais emotivo. provavelmente o único que me arrebatou, com o culminar nos primeiros acordes de cinema que me levaram do sorriso de contentamento às lágrimas descontroladas em dez segundos.
o segundo, rufus wainwright no coliseu dos recreios. com picos de euforia e de depressão, uma montanha russa emocional que me deixou sem palavras até chegar a casa e com a sensação de ter vivido um momento mágico.
em termos de álbuns é difícil escolher, já que vivemos tempos em que o acesso à música é quase instantâneo e muitos trabalhos passam por nós com a mesma rapidez dum download, nem chega para lhes adquirirmos o gostinho. por vezes o gostinho só vem mais tarde, numa re-audição mais cuidada.
o topo da minha pirâmide é ocupada pelo inevitável in rainbows dos radiohead, aquele que mais vezes ouvi, aquele que mais tempo se aguentou no meu leitor de mp3, aquele que mais companhia me fez.
depois, surgem outros três que me acompanharem por estes últimos meses, em fases diferentes. primeiro o back to black da amy winehouse, na fase do choque e da desorientação, a verdadeira música da fossa, a musa que canta aquilo que eu tenho vontade de dizer.
o hissing fauna, are you the distroyer? dos of montreal, que à primeira audição não gostei mas que passou a fazer todo o sentido, a partir da valiosa sugestão do francisco, numa fase de raiva e revolta.
por último, o sound of silver dos lcd soundsystem, numa fase em que é preciso finalmente reagir este álbum tem as vitaminas necessárias para não me esquecer do que fazer.

12 comentários:

Francisco disse...

belas escolhas.

o concerto do rufus wainwright foi de facto dos melhores, provavelmente o melhor, concerto que assisti este ano. nos álbuns as escolhas estão muito bem feitas, só o da amy é que não conheço mas já está aqui no pc.

já participei na lista da radar mas ainda não tenho uma definitiva. Ainda estou a re-ouvir alguns álbuns para dissipar algumas dúvidas.

Maria del Sol disse...

Vai ser difícil escolher uma lista este ano, foi fértil em novidades entusiasmantes e regressos esperados... talvez lá mais para o fim da semana tenha as ideias mais claras.

E, claro, a tua selecção é impecável ;)

Verne disse...

Amy rocks!!=P
Não gostei muito do album dos Of Montreal mas pronto...;) *

Zorze disse...

O Rufus ouvi-o na Aula Magna há dois anos e quanto ao In Rainbows acho-o excepcional, se bem que não é, na minha opinião, o melhor deles - se bem que ainda tem de se tornar especial com o tempo! Beijos ***

Cataclismo Cerebral disse...

Grandes escolhas! Amy claro que tinha de estar, concordo absolutamente :) Gostei muito do álbum dos Interpol e do "Neon Bible", dos Arcade Fire. Também gostei do "Person Pitch", do Noah Lennox (Panda Bear).

Bjocas e boa semana

Parrovski disse...

Boas escolhas rita. As minhas escolhas são bastante diferentes. Depois tu vez.

Betty Coltrane disse...

Bem, se tivermos em conta que dos poucos concertos a que fui este ano dois deles estão na tua lista, se calhar não me safei assim tão mal... lol!

Este ano andei muito nostálgica em termos de música, a olhar mais para trás do que para o presente, mas houve uns poucos que me marcaram. O Rufus, claro. Radiohead. Bat for Lashes. E o poder vocal de Beth Ditto! =)

baci, bella!!

Arya Bodhisattva disse...

Grande verdade essa dos downloads às bateladas que anulam o valor individual de cada cd...
...Quando só tinha massa p/ comprar um cd quando o rei fazia anos, degustava-o até mais não. Conhecia as letras e acordes de uma ponta à outra.

Desses aí, só ouvi o da Amy. Ela despedaça-se nas relações, reconstrói-se e ainda se observa com olhos de ver. Ímpar!

sôdona.leide disse...

também tenho que fazer a minha...

Bruna Pereira disse...

É caso para dizer: "bota água a ferver nessa lista!"

Ahahahahahahahah
Tenho saudades tuas :)

passarola disse...

em termos de concertos, nenhum bateu o da grande patty smith... não há volta a dar!! em termos de álbuns, não discordo muito de ti, se bem que invertia aí a tua piramide. :)

Strumer disse...

Em relação aos concertos não pude assistir a nenhum dos seleccionados. Quanto aos albuns interessante escolha. lcd soundsystem é genial, in rainbows muito bom! of montreal acabou por não entrar...

bom blog, vou passando..

cumprimentos