terça-feira, outubro 23, 2007

tenho sentido estes dias como a maior provação da minha vida até agora.
eu, cuja vida nunca teve nada de muito emocionante a assinalar, tudo muito meio termo como é meu hábito, nem popular nem freak, nem muito caseira nem muito festiva, a fazer o cursinho com notas do mais mediano que pode haver, vejo-me no meio de um turbilhão que teima em rodopiar cada vez mais depressa. estou tonta, até ao ponto da náusea. todos os dias um novo obstáculo, uma nova prova a superar. quando as outras ainda não estão superadas, longe disso. as camadas vão-se sedimentando, todos os dias é um novo dia, e todos os dias é acrescentada mais matéria no fundo.
já dá para fazer um muro de tamanho médio.

11 comentários:

Rocha de Sousa disse...

Leio devagar, e pela primeira vez,
a última postagem deste blog, e sinto verdadeiramente o que verda-
deiramente me acontece quando chove
ou é preciso um grande esforço para
escrever uma frase. Não é uma peça
de literatura, é uma voz interior,
um soipro que procura abrir caminho
para que haja ainda a brisa da res-
piração, o retorno à claridade.
Com um gesto solidário
Rocha de Sousa

Maria del Sol disse...

Sei que és corajos e madura, e com estas provações é que estás a mostrar a tua verdadeira fibra. Não estou a dizer isto para relativizar o teu esforço, mas para que saibas que tens com quem contar quanto sentires os alicerces a fraquejar ;)

*beirut*

Beijinhos!

naturalissima disse...

Por estados de alma que acabaste de descrever, passamos todos. Uns de uma maneira outros de outra. São fases que considero importantes para o nosso crescimento interior. Experiências nossas e só nossas.

Deixo-te um beijinho carregado de positivismo.
;-) Daniela

O Profeta disse...

Espantoso o teu espaço...

Beijinho

Cataclismo Cerebral disse...

Os teus posts espelham bem as transformações que tu e todos nós passamos. É realmente bonito ver alguém que consegue expôr os seus estados de alma de uma forma tão honesta. Ter consciência dos obstáculos das fases da vida é algo de uma pessoa madura e com pulso forte!

Beijinhos

Rui Caetano disse...

Os obstáculos que nos surgem a meio do caminho tornam as coisas mais saborosas ao conquistarmos.

beta disse...

Por vezes controlamos a nossa "atmosfera"... Outras nem por isso... Eu não sei se conseguiria viver sem ser em turbilhão. Os Caminhos nunca são em linha recta por isso nos fazem crescer, tenhamos nós 10 anos ou 60 anos...

Tinha saudades de vir aqui

Beijo

planeta Claudiano disse...

Acho que estamos a atravessar uma fase parecida na vida. O meu muro já dá para um prédio.

Vanessa disse...

Ás vezes penso que do outro lado do muro está tudo o que nos faz andar para a frente. E o muro vai ficando mais pequenino... :) Mas depois aparece mais uma pedra, e outra e outra... Quando deixar de aparecer é mau sinal, não achas? :p

Francisco disse...

lembrei-me disto:

So close and yet so far away
and all the things I'd hoped to say
will have to go unsaid today
perhaps until tomorrow
your fear has built a wall between
our lives and all that lovin' means
will have to go unfelt it seems
and that leaves only sorrow

Reflex disse...

Um dos mitos mais interessantes da internet de língua portuguesa é a atribuição a Fernando Pessoa desta frase:
"Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir
um castelo…"

Confirmei entretanto que a autoria não é dele... porém fica a frase! acrescentada de um pouquinho de Cure:

"Oh you know how it is
wake up feeling blue
and everything that could be wrong is
including you
black clouds and rain and pain in your head
and all you want to do is stay in bed

but if you do that you'll be missing the world
because it doesn't stop turning whatever you heard
if you do that you'll be missing the world
you have to get up get out and get gone!"

;)