segunda-feira, setembro 03, 2007

carpideira

se há prova que não consigo passar é a prova da lamechice.
está uma mulher a parir na televisão, lá vem a lagrimita. morre uma criancinha faz-se-me logo o beicinho. e eu que não era nada assim. ainda me lembro que quando estava a chover e não podíamos fazer educação física tínhamos de gramar inevitavelmente com o em busca do vale encantado parte 5600. e as minhas coleguinhas logo todas muito precoces a carpir a morte da mão dinossaura, ou lá o que era. e eu bem que tentava puxar a lagriminha, franzia muito a cara, rente à mochila pousada em cima de mesa para ninguém notar as minhas caretas, e depois levantava a cabeça triunfante quando uma pequena gota de esforço escorria cara abaixo.

muitos muitos anos sem me emocionar com nada. quando nem com a morte do fehér, com homens rijos a chorar que nem criancinhas, me comovi comecei a pensar que algo estaria mal comigo.

até que se deu o momento de viragem. não sei muito bem que momento foi esse mas desconfio.
só sei que hoje em dia sou uma criaturinha insuportavelmente chorona. ao nível de uma personagem do camilo castelo branco. e o última prova disso foi chorar a ver um episódio da anatomia de grey. série de que ainda não tinha visto nada mas tive logo de apanhar um episódio de um naufrágio de um ferry boat com muitas mortes, desde grávidas que deixam maridos destroçados, maridos que deixam mulheres viúvas, um sem número de gente a chorar agarrado a fotografias de familiares. um pranto.
quanto à série em si, devo ter visto uns dois episódios depois desse e deu para ver que é infinitamente inferior ao histórico serviço de urgência. a anatomia de grey centra-se mais na vida dos funcionários do hospital e menos nas histórias pessoais dos que são assistidos. é mais novela, portanto. pelo menos para mim.

9 comentários:

little_blue_sheep disse...

...deixa lá, comigo é o mesmo!
;)
*

Maria del Sol disse...

Bem, apesar de sofrer do síndrome "borrachinha atrás das orelhas" mais do que gostaria de admitir, a verdade é que a Anatomia de Grey também nunca me encantou, com aquela sua fórmula "Serviço de Urgência meets Sexo e a Cidade", mas isto fica só entre nós, que o meu mano aspirante a médico não pode saber :P

E como nunca se sabe quando a lagriminha traiçoiera há-de fazer a sua aparição, mais vale ter o pacote familiar de lenços à mão quando se liga a TV ;)

refugee disse...

Isso é com certeza o lado mais bonito do ser humano, e dos mais bonitos da minha bunny....Quero-te tanto!!!!

a terapeuta disse...

Tudo bem que são séries que embora com a mesma temática assumem caracterisiticas bastante divergentes, mas quando se assiste primeiro a 'Dr. House' e depois a 'Anatomia de Grey' não dá vontade de acompanhar a última. É uma série com cenas de choro fácil... assim, como o 'The O.C.'. Choro em 90% dos episódios, em que 50% são lágrimas baba e ranho!

naturalissima disse...

Sempre fui muito sensível a respeito do que via no cinema e/ou à minha volta (em vida real).

Nada me diz, ou me faz vibrar quando se trata de violencia à "Hollywood" (com efeitos especiais, cabeças e braços a saltarem em grandes explosões ou perseguições entre os bons e maus),... no entanto fico arrepiada e choro babo e ranho quando são conteúdos de sofrimento interior humano, emoção, tristezas ou mágoas de profundo sentimento... ou mesmo quando são momentos de grande alegria.

Gostei deste post, amiga... simples, mas de importante conteúdo

um beijinho

planeta Claudiano disse...

Bem vinda ao clube das choronas.Eu então chego a querer esbofetear-me por causa da lagrimita irritante! Chega a ser desesperante,porque quanto mais penso"não vou chorar", mais choro.

Zorze disse...

lol - eu choro com as injustiças do mundo; mas do choro gosto quando é chorado com felicidade - não há melhor! Beijos alienados ***

Cataclismo Cerebral disse...

Chorar faz bem, lava a alma :)

passarola disse...

eu sou um bocado para o insensível... menos em vésperas de período. Aí, a lagrimita tem tendência a saltar à minima contrariedade... e vai piorando com a idade!!! :S