terça-feira, abril 10, 2007

blues

a d. amélia foi minha vizinha durante praticamente toda a minha vida.
fomentadora do meu gosto pela leitura, ela trazia-me livros d'uma aventura directamente da caminho onde ainda trabalha. da alice vieira também, alguns. no natal, nos anos, já sabia que a d. amélia me ia oferecer um livrito.
quando a minha mãe ia falar com ela eu ia também e ficava muito sossegadinha a ouvir a conversa, a d. amélia a fazer-me festas na cabeça, punha um braço à volta dos meus ombros. e eu adorava ouvir as conversas dos adultos.
a d. amélia tinha orgulho em mim quando a minha mãe lhe contava como eu ia na escola, a ritinha já estava a estudar em setúbal, como o tempo passa... a d. amélia encorajou-me como eu não hei-de esquecer num dos picos da minha desmotivação, no 1º ano do meu curso. ela disse que eu ia dar-me bem, para não me preocupar porque eu ia passar. e passei, e fui passando até hoje.
ela foi morar para lisboa, só está por cá aos fins de semana. mas eu preciso muito de vê-la...preciso de lhe fazer festas na cara e pôr-lhe os braços por cima dos ombros. vê-la esticar o pescoço para olhar para cima, para mim. ver-lhe a carinha enrugadinha e o cabelinho ralo na cabeça, mas a mesma maneira viva de ser e a mesma maneira engraçada de falar.
deu-me tantas saudades da d. amélia que me apetecia vê-la já hoje, para deixar de me sentir sózinha.

4 comentários:

Senhora das Águas disse...

A solidão é um estado de alma... um beijo

passarola disse...

oh... que vontade de ter tido uma vizinha D. amélia!! :) A fomentar o gosto pela leitura das crianças alheias!!! Já gosto dela!! :)

Betty Coltrane disse...

A minha dona Amélia chama-se dona Lia, e leva-me á ópera quando não tem companhia - e oferece-me livros de arte com trinta anos, porque diz que os sobrinhos dela não dão valor a essas coisas... Morou em Lisboa a vida toda - mas agora está no lar dos bancários, lá pertinho de nós. Ainda bem, porque assim é cliente da minha mãe, e posso ter longas conversas com ela. Também é pequenina e elegante, tu sabes, já a conheces. E eu quero ser assim quando tiver aquela idade - para representar para alguém o que estas espantosas senhoras representam para nós!

E já sabes - se precisares, eu tb ando por aqui! ;P

beijão!

Parrovski disse...

Parabéns pela ternura deste post.