quarta-feira, janeiro 31, 2007

a criancinha anda de um lado para o outro do consultório. deve ter pouco mais de um ano, mede aproximadamente o tamanho da minha canela, tem olhos castanhos enormes, não é muito bonito mas tem um olhar vivo e uma alegria que o iluminam. ri-se, ri-se muito de cada vez que a mãe se põe à frente, a travar as incursões dele pelo corredor adentro. mãe galinha, como todas. cada passo que o tomás dá, recebe um «olha lá...», «tomás não!!», ou simplesmente «não!!». já cansada, cede o seu lugar ao marido. agora é a vez dele cortar os passos ao miúdo. não é, contudo, tão diligente. pânico: o tomás vai para trás da recepção do consultório. oh não! o tomás consegue chegar ao fim do corredor! «oh pedro, tu realmente...» as palavras têm um desprezo que me choca. o homem mostra-se impassível, mas duvido que as palavras não surtam efeito no seu interior. não entendo, que estava o pai a fazer de mal? o pai tem outra ideia: vamos pôr o carrinho a rodar pelo chão. a criança gatinha atrás do carrinho, meu deus, que horror de se ver, que males escondem o chão do consultório. outra vez a ironia «grande ideia, sim senhor...» e levanta apressadamente a criança do chão, não vá já ser tarde demais.
naquele momento fui eu quem sentiu desprezo por aquela mulher, por ela e pela sua educação à eusébiozinho.

7 comentários:

refugee disse...

Uma realidade cada vez mais frequente na vida humana. este excesso de proteccionismo sufoca as crianças e a liberdade de que precisam para crescerem como pessoas. Só aumenta o medo que as crianças poderam vir a ter pelo mundo exterior.

passarola disse...

gostei muito do texto :) embora esteja plenamente de acordo que se deve deixar espaço à descoberta do mundo pela criança, sem medos paternais no caminho.. é difícil julgar as vidas dos outros.. principalmente quando não se conhece... ;)

Pedro disse...

quando fores mãe também serás compreensiva... sureeee

Deepak Gopi disse...

Thank you for watching my movie
Hope your exams were exellent.
good day :):)

Deepak Gopi disse...

a sweet gift 4 friendship

_________8"=,,88,
_____8""=""8'__"88a88'
.._.;88m a8___,8""_"8
__"8"'__"88"__A"_____8;
___"8,__"8___8_______"8,
____"8___8,__8,_______"8
_____8,__"8,_"8,_______8,
_____"8,__"8,_"8mm""""""8m.
______"8,am888i"'___ 3,mm"
______,8"___8"__ 3.m888"
_____,88P""""" 3I888888
________________"I888_
__________________"I8,
___________________"I8
____________________"I8_
________,mmeem.m""i,_I8""__,mmeem,'.
_______m""____._"8.8_I8__,8"___.__"88
______i8__._'__,mi""8I8_,8_._'__,8"_88
______88.'_,mm""____"8I88"m,,mm'" 8
______"8_m""_________"I8 ""'
_______"8_____________I8
______________________I8
______________________I8""
______________________I8
______________________I8
____________________""I8
______________________I8


Flowers of true friendship never gives up,
it is a promise made forever !!!!!!!!!

It brings such happiness to the heart and
mind & makes every dreams come alive!!!!!!

Carlos disse...

Bom blog e o texto está gito.
.
http://toxicidades.blogspot.com

vinte e dois disse...

Hoje em dia as crianças parecem flores. os pais não lhes deixam fazer nada com medo disto e daquilo. Mais tarde, estas mesmas crianças serão completamente dependentes dos outros pq foram criados assim desde sempre.
Bom fim de semana ;)