quinta-feira, novembro 30, 2006

está-me cá a parecer que foram cinco euros bem gastos...

björk, debut
1993

obrigada bunny por mais um elemento a juntar à minha colecção nickcaviana.

quarta-feira, novembro 29, 2006

a leste do paraíso

East of Eden clip


acabei há dias de ler um livro maravilhoso, o a leste do paraíso de john steinbeck. ou melhor, li o primeiro volume da obra, pensava que era um único volume mas não, afinal são dois.
fiquei agora curiosa para a segunda parte, sobretudo para saber se é na segunda parte da obra que foi baseado o filme com o mesmo título.
não conhecia nada da obra deste autor, mas confesso que adorei a sua escrita, misturando considerações pessoais com a narração da história principal. publiquei uma reflexão do autor num post anterior aqui .
agora fiquei com vontade, não só de ler (primeiro há que encontrar...) o segundo volume do livro como também rever o filme, que tem como protagonista james dean. para quem nunca viu o filme recomendo-o. a interpretação de james dean é impressionante de tão intensa...um daqueles clássicos que já não se fazem...
fica aqui um excerto do filme para perceberem do que estou a falar.

segunda-feira, novembro 27, 2006

oiçam só esta delícia...



daqui:
já tinha falado deste cd quando soube da notícia de que ia ser feito. tinha ficado curiosa quando li a descrição. agora estou rendida.....

sexta-feira, novembro 24, 2006

sem título

dia de dilúvio...
dia também de prazer infinito contigo ao meu lado, eu dou-te o meu calor em troca do teu abraço.
juntos queremos trespassar a única barreira que nos separa, a da carne, dos músculos, dos ossos...pois espiritualmente somos unos. soaram as sirenes, caíu-nos o dilúvio em cima, ecoou nos céus o trovão, empurrou-nos o vento sem nos conseguir apartar...
não temo a tempestade enquanto estiver ao teu lado.

terça-feira, novembro 21, 2006

nighty night


a quem não conhece recomendo vivamente.
a 2: está a transmitir a segunda temporada da série britânica, nighty night, que em português foi traduzida por escuro como a noite.
sou assumidamente fã do humor britânico, desta série em particular. felizmente existe a 2: com o seu espaço britcom, que dá a conhecer as melhores séries britânicas da actualidade (ainda que às vezes com algum tempo de atraso...). pela britcom já passaram séries lendárias como a liga de cavalheiros, the office, little britain, e agora esta nighty night.
nighty night não é aconselhável a pessoas com um sentido de humor muito certinho... é o humor negro puro e duro, a roçar por vezes o mau gosto...
jill é uma cabeleireira, loura espampanante, sem quaisquer escrúpulos. vai tentar tudo por tudo para conquistar don, marido de cath. na primeira série instalou-se em casa da família sob o pretexto de cuidar da doente cath. os planos doentios de jill são a trama principal desta série.

acho que esta frase resume muito bem:
you'll hate yourself for laughing.

britcom, 2:
domingos às 23.15

domingo, novembro 19, 2006

hoje em dia assiste-se ao espectáculo de uma guerra de extermínio entre as forças militarizadas do conceito de grupo e esse bem precioso:o cérebro do homem
Beck - Cellphone's Dead

fica aqui o video realizado por michel gondry para esta cellphone's dead do beck.
quanto há música, já tinha dito há algum tempo e reafirmo, é uma das melhores que ouvi este ano. uma das minhas preferidas do beck.
quanto ao video, está ao nível do génio deste realizador. michel gondry tem recebido algumas críticas bastante más relativamente ao seu último filme, the science of sleep. mas acho que não se pode negar que este senhor tem uma mente extremamente criativa e um imaginário muito fértil, que depois dá nisto, neste videoclip em particular, e em outros já realizados para outras bandas, como os white stripes ou os chemical brothers.

sábado, novembro 18, 2006

boa notícia


Nick Cave lança DVD duplo em Janeiro.

Nick Cave e os Bad Seeds vão ter um DVD duplo editado a 29 de Janeiro referentes à digressão do duplo álbum «Abattoir Blues / The Lyre of Orpheus», os últimos da sua carreira.
O DVD contém imagens de três noites esgotadas na Brixton Academy de Londres e ainda excertos de um concerto no Hammersmith Apollo a 7 de Junho de 2003, durante a digressão de «Nocturama». A edição traz ainda os telediscos respeitantes aos últimos dois álbuns e ainda cenas de bastidores durante a gravação do vídeo de «Bring It On».
A edição especial traz ainda um duplo CD com diversas canções ao vivo de 2004.


vou já começar a poupar...

quinta-feira, novembro 16, 2006

O caminho


O caminho sem destino
Leva-me por caminho nenhum
Faz-me falta a badalada o sino
Porque vou a sítio algum

Se caminho errante, divago
Sem problemas de maior
Mas se nada escrevo, tudo apago
O sofrimento interior

Nada me leva aonde quero ir
Porque não sou livre como o atum?
Podia encarar o oceano a seguir
Por caminho... caminho nenhum

Juntos erramos como um menino
Tu és eu, e nós somos um
Desde de que munidos de sorriso paladino
Não chegamos a lugar algum.

quarta-feira, novembro 15, 2006

banda sonora para hoje


nick cave e chuva é a combinação perfeita...

like a rolling stone

tenho estado algo afastada aqui do meu cantinho...é verdade. o grande deepak já pensava que eu não estava por aqui, mas eu tenho vindo todos os dias ao blog.
só não me apetece escrever.
mas hoje de manhã acordei e pensei: tenho de pôr isto no blog.
ao fim e ao cabo não é nada de especial... vou partilhar o meu sonho de esta noite.
sonhei que conhecia os rolling stones. ou melhor, três deles. o baterista e outro qualquer que sei que era da banda mas a cara não coincide com nenhum dos membros na realidade. foi uma amena cavaqueira, conversámos muito (em português, claro...que os meus sonhos são muito básicos, não envolvem línguas estrangeiras, tirando um pouco mais à frente, como vão perceber) e tirei umas fotos porreiras com o tal baterista e o outro-que-era-da-banda-mas-na-realidade-nunca-vi-tal-cara-na-minha-vida.
como devem calcular, a cereja em cima do bolo seria uma foto com o mick jagger. como tal, viro-me para ele e pergunto-lhe no meu inglês impecável (esta é então a parte em que o meu sonho adquire contornos mais complexos):
- sir mick, can you take a picture with me, please?
e ele recusou.
e pronto, é so disto que me lembro.
não é que seja nada de extraordinário mas foi, digamos, um sonho diferente.

offpost: a tertúlia hoje à hora de almoço foi deliciosa...para empurrar o empadão de carne discutia-se se os animais têm direitos. de um lado, a facção conservadora defendia aquilo que nos ensinaram nos livros de introdução ao direito, logo no primeiro ano, com os nossos cérebros ainda virgens, que os animais não têm direitos. nós é que temos deveres para com eles. a facção de esquerda defendia que os animais têm direitos e que devem ter uma dignidade tutelada por normas à semelhança das normas que tutelam a nossa dignidade.
mas como eu tenho mais que fazer, isto ficará para outro post.
isto e a cena dos ovnis,que não está esquecida oh primo do adamastor.

bunny...apeteces-me muito...
:)

sexta-feira, novembro 10, 2006

...

as 500 pessoas mais ricas do mundo têm um rendimento equivalente ao de 416 milhões de pessoas mais pobres.

fonte: Diário de Notícias de 10/11/2006

...

deu-me uma vontade maluca de ouvir esta música...
os planos para este fim de semana fracassaram...
vai ser um fim de semana banal...




quinta-feira, novembro 09, 2006



um professor chamou-me hoje de boazinha. e o mais curioso é que já na minha última intervenção o tinha insinuado.
no final da aula fui perdir as minhas satisfações.
«então professor, porque é que me está sempre a chamar de boazinha? já da outra vez foi a mesma coisa...»
«ah eu disse isso? mas eu estava a brincar, tenho as suas intervenções muito em consideração.»

ok, mais descansada.
em todo o caso a semente da desconfiança já germina... sou mesmo boazinha?
não acho que seja uma má pessoa, mas boazinha?...
boazinha é a floribella...e eu não tenho nada a ver com a floribella.

terça-feira, novembro 07, 2006

aTOOLada em corpos suados...

o concerto de tool não foi nem muito bom, nem muito mau. foi razoável, bonzinho...
talvez porque eu não fui feita para andar no meio do mosh...de facto nem compreendo sequer o gozo que aquilo dá, estar de costas para o palco, enquanto empurro furiosamente gente que não conheço de lado nenhum...
a banda de abertura foi terrível (a harmonia do caos, nas palavras do refugee) vou dizer o que é mastodon para mim: quatro(ou eram cinco?já não sei bem...) instrumentos, uma bateria, um baixo e duas guitarras numa luta aguerrida para ver qual era o mais barulhento e qual o membro da banda que conseguia tocar mais depressa/com mais força. pareceu-me uma canção que durou uma meia hora, mais coisa menos coisa. as canções sucediam-se mas eu ia jurar que era uma e a mesma, aquilo a mim soava-me tudo igual. consta que eles são uma banda muito reconhecida e excelentes executantes, portanto vou desculpabilizar este meu desagrado com o meu ouvido pouco treinado para aquele som tão violento.
acho que é essa a palavra que melhor define o concerto, tanto de tool como de mastodon.
os decibéis tentavam furar os meus tímpanos violentamente. a vibração do som que saía das colunas batia contra o meu corpo violentamente. fui violentamente pisada (vide post anterior). fui violentamente empurrada e violentamente afastada de perto do palco. o rapaz ao meu lado suava violentamente, e enquanto saltava eu só pensava esta roupa vai para lavar...
quanto ao concerto de tool, o vocalista, maynard james keenan, apareceu envergando uma máscara de oxigénio com um microfone dentro, o que foi causando os seguintes pensamentos:
uau! olha o maynard!
então mas o gajo nunca mais tira a máscara?
não me digas que ele não vai tirar a máscara durante o concerto...
f***-se, já viste? o gajo nem sequer tirou a máscara...
visulamente foi espectacular...os quatro ecrãs por trás da banda iam passando ou os videoclips das canções ou filmes feitos propositadamente para concerto. um pano enorme erguia-se por trás, mostrando o artwork do último álbum da banda 10.000 days. luzes, lasers...um espectáculos belíssimo ao qual se mantinham alheios os anormais do mosh.
o concerto pecou por ter durado pouco. de facto, ao fim de uma hora de concerto a banda reune-se e começa-se a despedir, começava aí o primeiro encore que demorou mais uma meia hora. sinceramente fiquei contente quando acabou, mas compreendo quem foi lá para os ver e saiu desiludido não só devido à curta duração mas também porque o alinhamento não trouxe quaisquer surpresas.
foram eficientes, mas ficaram muito abaixo da minha disposição de pagar trinta euros.
ficou a promessa de voltarem no próximo verão. não descarto a hipótese de os ir ver de novo caso a minha querida companhia queira ir ver.
mas para a plateia nunca mais...

desculpem o título, mas desde o post sobre o concerto de muse que me viciei em trocadilhos com nomes de bandas...

segunda-feira, novembro 06, 2006

sábado, novembro 04, 2006

amanhã

...

para provar que eu não falo só do tempo e de como gostava que estivesse um friozinho a valer para poder vestir os meus casacões, aqui está um post muito a sério escrito por mim

quinta-feira, novembro 02, 2006

Hum(an)idade


Tenho saudades do frio
De a chuva a escorrer pela janela
De abandonar definitivamente o estio
De permanecer em casa com ela

Sim dizer que te amo Bela donzela
Que o teu perfume é fragrância
Do orvalho matinal,
Puni-me, senão me falta a sindicância
De responder por este amor fatal

E a chuva bate na vidraça
Já dizia o grande Pessoa
E as palavras escorrem-me como fios de água
Mas ao contrário da chuva este amor não passa
E me diluvia eternamente de prazer e mágoa.

Sim quero estar cá dentro
Sentir o calor animal, natural
Que há em nós, reflectir em ti o meu calor
Mas se quero disfrutar deste amor frugal
Como prantos de chuva e dor

Não, ao contrário deste amor não passa
Esta chuva que me aquece
E o amor não devassa
Lava-me por dentro que a paixão não esquece!