terça-feira, julho 25, 2006


«nesse vale maravilhoso, sentimo-nos agradavelmente sós. as suas paredes separam-nos do mundo, de onde não nos chega o menor ruído; o único que ouvimos é o murmúrio da água que cai das cascatas.
sonhamos que talvez um dia possamos comprar a mina de cal, quando já não a explorarem mais. construiremos nela as nossas casas rodeadas de um enorme jardim, criaremos animais e teremos ali tudo o que é necessário para a vida. fecharemos então o único caminho que conduz até ao fundo no nosso maravilhoso vale.
nenhum de nós sentirá, alguma vez, o desejo de voltar ao mundo exterior.»

acabei de ler ontém. angustiante, revoltante, chocante, desesperante...e aí por diante.
uma autêntica lição de vida. e um final extremamente inspirador.
o excerto que escrevo é exactamente os 3 últimos parágrafos do livro. depois de várias recaídas e planos falhados, a personagem principal, christiane, consegue finalmente «ver a luz ao fundo do túnel». e não é arranjando uma profissão onde receba bem numa cidade grande; não é pondo fim à vida; não é casando com um homem rico; é sim, num meio rural, rodeada de pessoas puras, com aspirações humildes e uma visão simples do mundo.

faz ter esperança, faz pensar no que realmente interessa hoje em dia. fez-me mudar a visão que tinha do mundo da droga.
adorei e recomendo.

2 comentários:

betty coltrane disse...

Sugestão anotada! Sabes que sim...
Já estás a ensaiar,hum? ;)
Fazes bem...

Estas obras querem é divulgação, para chegarem ao maior número de pessoas possível, para abalar consciências, acordar cérebros.

beijocas!

amazing disse...

Lembro-me deste livro, depois reconvertido em filme, tinha para aí uns 10 anos.
O pormenor dos lenços estarem sempre branquinhos, foi uma coisa que me marcou.